Dermatofitose em cães e gatos – Diagnostico, Tratamento, Prevenção e Contagio

A dermatofitose uma doença de pele que acomete animais e a causada geralmente é por fungos do tipo ceratinofílico; os climas quentes e úmidos propiciam. A transmissão desses fungos ocorre por contato direto com o pelo de animais contaminados, muitas vezes de gatos.

As lesões na pele causada por essa doença são conforme foto abaixo?

dermatofitose

Animal em tratamento

O fungo pode sobreviver na pele do animal por anos, sendo assim, caso o organismo não reaja a doença, pode ser difícil de ser erradicada.

Nos seres humanos, o fungo também causa uma lesão circular, com bordas mais escuras e com crostas. A lesões costuma ser avermelhada, coçar muito e, em infecções mais intensas, doer. As lesões em seres humanos são mais comumente encontradas nos braços.

Tratamento e Prevenção

A dermatofitose pode ser prevenida por vacina que deixa o organismo do animal mais eficiente no combate à infecção do fungo. Para fazer o tratamento da doença, é muito importante que seja feito um diagnóstico detalhado para isolar a espécie de fungo que infestou o animal. O diagnóstico é feito por cultura do tecido afetado para identificar os fungos além de biópsia e análise do tecido. Também é importante examinar se não há outras infecções envolvidas.

Os fungos que usualmente causam a dermatofitose em cães são o Microsporum canis, Microsporum gypseum e o Trichophyton mentagrophytes, sendo o primeiro o mais comum dentre os três.

O veterinário, depois de feito o diagnóstico, deve receitar fungicidas específicos. Os fungicidas podem ser por via tópica, através de banhos com sais ou oral, sendo que a via oral é para casos mais graves. Também é importante ministrar antibióticos e anti-inflamatórios para combater possíveis infecções secundárias.

Contagio

Antes e durante o tratamento, tome cuidado ao entrar em contato com o animal doente, pois a doença pode afetar os seres humanos e pode ser difícil erradica-la em pessoas também. Sempre tome cuidado com as zoonoses, doenças de animais que também podem afetar humanos, e siga as orientações do seu veterinário.

    Leave a Comment

    O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

    Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>